" [...] verdadeira evolução de um povo se faz ao nível da mente..." Nely Novaes Coelho

sábado, 22 de maio de 2010

O rouxinol e a rosa (resumo)


O início do texto narra o sofrimento de um estudante que, sentindo-se apaixonado, vê-se humilhado por não encontrar a flor que sua amada lhe pedira como condição para dançar com ele no baile do príncipe: uma rosa vermelha. Um rouxinol que aninhava-se em um carvalho localizado no jardim da casa do estudante ouviu as lamentações do jovem e compadeceu-se dele. Visitou, então, a roseira vermelha e pediu-lhe uma rosa; ela, porém, lhe disse que não poderia dar-lhe a flor, pois o péssimo tempo que fazia naquela estação a impossibilitou de florescer. Entretanto, ela disse ao rouxinol que se ele tivesse coragem suficiente para perfurar o coração em um dos espinhos da roseira, cantando a noite toda e oferecendo-lhe o seu sangue, ela conseguiria obter forças para desabrochar uma rosa.
O rouxinol aceitou submeter-se ao sacrifício, pois acreditava no amor entre o homem e a mulher. No raiar do dia, o rouxinol já não existia mais, mas uma linda rosa havia desabrochado. Vendo-a o jovem estudante, cortou-a e levou-a para a sua amada. Ela, no entanto, disse que preferiria ir ao baile com o Capitão da Guarda, pois ele lhe havia dado jóias, e jóias são mais valiosas do que flores. Enraivado, o estudante atira a rosa na sarjeta, e essa é esmagada pela roda de um carro. Ele volta para casa, arrependido de crer no amor, e volta a estudar.

Um comentário:

Anônimo disse...

òtimo resumo, parabéns pela sua boa vontade de resumir uma história maravilhosa como O rouxinol e a rosa, e graças ao seu resumo eu pude compreender melhor o contexto da história.